Competindo com os Alugueres para Férias

Set 22, 2021 | Blog, SIHOT

10 formas para os hotéis superarem os alugueres destinados a férias

Com a popularidade do self-catering e os alugueres para férias de curto prazo a subir em flecha, analisamos a forma como pode demonstrar o valor do seu hotel e superar o mercado de alugueres destinado a férias

Já no período pré-pandémico, a conquista crescente dos alugueres a curto prazo, estava a revolucionar o mercado de viagens e era já a eleição para muitos consumidores. Sites populares elaborados com base no conceito de home-sharing, como Airbnb, estavam já empenhados em diversificar a sua oferta com atividades e serviços que propiciassem um leque de experiências mais vasto, enquanto HomeAway estava a preparar-se para uma reestruturação completa, renovando-se como Vrbo, e tirando partido do poder de projeção da Expedia.

À medida que as empresas de alojamento foram reabrindo as suas portas durante a pandemia, as unidades de aluguer de alojamento com self-catering foram das primeiras capazes de regressar ao mercado e, desta forma foram impulsionadas para as luzes da ribalta. Tal fez com que hotéis e resorts se deparassem com milhares de propriedades privadas disponíveis para aluguer destinado a férias – muitas vezes com o apoio de plataformas globais de marketing e vendas, gerando impacto na angariação de receitas e no aumento da competitividade.

 

Afluxo ao alojamento de curto prazo

Esta procura de alugueres para férias de curta duração – e a sua maior visibilidade para os viajantes, no que confere ao processo de reservas – não demonstra sinais de abrandamento. A procura crescente dos alugueres para férias tem sido liderada por famílias e amigos que se reúnem num espaço que só eles podem partilhar e desfrutar; enquanto que os viajantes mais jovens, são atraídos pelas liberdades e pelo preço inerentes a tal oferta. Então, onde é que os hotéis e estâncias se encaixam neste novo panorama? Como atenuar os percetíveis benefícios das propriedades privadas, em relação aos espaços comuns e partilhados do seu negócio hoteleiro?

O mercado de aluguer para férias deu um salto qualitativo em relação ao legado tecnológico da indústria hoteleira, utilizando plataformas intuitivas de sistema único, que fornecem serviços digitais completos aos hóspedes, a maioria dos quais, sem necessidade de contacto interpessoal. Durante e pós-pandemia, ser capaz de evitar o contacto com estranhos é um ponto de venda atraente.

 

Contornando o Covid

Quando se trata de distanciamento social, os hotéis integram uma série de circunstâncias que lhes são desfavoráveis: espaços comuns, entradas únicas comuns, receção partilhada para check-in, acesso comum aos quartos, refeitórios centrais e lobbies, ou seja, áreas que as sociedades têm sido aconselhadas a evitar nos últimos 18 meses. Face à procura de espaços mais amplos que assegurem o distanciamento social, os hotéis urbanos e citadinos iriam ter, claramente, um mau desempenho à medida que o turismo reabria, com as pessoas a dirigir-se preferencialmente para o campo e para o litoral.

No que diz respeito aos hotéis que dependem de viagens corporativas e de negócios, tem havido uma adaptação, visando conquistar uma quota no mercado de lazer. Por outro lado, a conquista de mercado sofre grandes impactos e oscilações, em virtude também do tempo que um determinado governo leva para alterar as suas políticas de emergência. Face ao exposto, nunca se verificou uma concorrência tão cerrada na oferta dirigida ao consumidor de lazer.

Respondendo às preocupações de higiene Covid, os hotéis introduziram novos procedimentos de limpeza, e redirecionaram-se para plataformas digitais, visando comunicar e interagir com os hóspedes. No entanto, tais adaptações, apenas colocam os hotéis em pé de igualdade com muitos alugueres destinados a férias. Não obstante, nem tudo é fatídico e sinal de infortúnio para os hotéis – longe disso! As empresas de hotelaria podem tirar partido da sua marca e reputação já consolidadas no mercado, visando promover uma experiência diferenciada para desfrute dos seus hóspedes. Aqui estão as nossas sugestões sobre como os hotéis podem superar os alugueres de lazer e convencer os viajantes a reservar um hotel, em vez de um aluguer a curto prazo para as suas férias.

woman at the hotelpool

1. Check-in sem contacto

Ao mesmo tempo que oferece simplicidade ao hóspede, este processamento permite, igualmente, que um hotel corresponda ao nível dos padrões de aluguer para férias e dê resposta eficaz às diretrizes de distanciamento social Covid-19.

A introdução de um check-in sem contacto para o seu hóspede também se traduz em eficiências operacionais. Os hóspedes podem alterar as suas reservas, partilhar os seus dados, e aceder ao cartão-chave do seu quarto. Os hotéis podem instalar o SIHOT.KIOSK nos lobbies, ou optar pelo check-in sem contacto através da aplicação de hotel SIHOT.GO!

2. Pagamentos sem contacto

Utilize um sistema POS integrado para digitalizar pontos de pagamento em toda a sua propriedade e facultar pagamentos sem contacto em todos os departamentos. Dispositivos móveis ligadas ao serviço de restauração revelam-se de suma utilidade: ajudam a melhorar o serviço prestado aos hóspedes e simplificam o trabalho do pessoal, melhorando as operações através de um conjunto de aplicações que permitem digitalizar listas de mesas, preços de happy hour, conversões de moeda estrangeira, dividir ou combinar pagamentos e gerir a entrega de mesas.

Ligar terminais portáteis sem fios ao SIHOT.POS para um serviço mais eficaz e especialmente direcionado para o cliente.

3. Programas de fidelização e recompensas

Um grande benefício dos hotéis é o inventário; um fornecimento constante de stock com vários quartos do mesmo padrão, oferecido ao hóspede vezes sem conta. A informação sobre a oferta e o conforto reconhecido da unidade hoteleira, torna-se apelativo para os viajantes com um cariz mais ansioso, que querem saber com antecedência o que uma reserva lhes irá proporcionar. Dinamizando e implementando programas de fidelização e recompensa, os hotéis podem atrair os hóspedes para as reservas, especialmente quando oferecem um verdadeiro valor complementar aos seus clientes mais fiéis.

Englobe uma perspetiva mais ampla e integrada em relação à experiência dos seus hóspedes. Procure parcerias com outros fornecedores e empresas locais, visando transformar a estadia no hotel numa experiência completa e mais abrangente, e encoraje as visitas recorrentes. Com a nossa poderosa solução de CRMSIHOT.LOYALTY, ajudamos os hotéis a criar programas de fidelização flexíveis, capazes de equilibrar as necessidades do negócio hoteleiro, com uma oferta mais atraente para os hóspedes.

 

4. Promover serviços e comodidades das unidades hoteleiras

A cultura de serviço dos hotéis é uma área onde os alugueres a curto prazo não podem competir. É tempo de realçar as muitas razões pelas quais o seu hotel proporciona mais conforto e luxo, do que uma estadia numa casa. Promova os serviços complementares, tais como limpeza regular, restaurantes, serviço de quartos, o conhecimento especializado e a assistência personalizada das suas equipas de concierge e de Guest Relations, bem como comodidades de cariz mais amplo nas suas próprias instalações, tais como ginásio, piscina e Spa.

Muitos alugueres a curto prazo não dispõem da amplitude de instalações e comodidades que os hotéis podem, de facto, oferecer. Apresente uma experiência de estadia que realmente explore as necessidades intrínsecas dos seus hóspedes, e ofereça-lhes uma experiência que eles tenham desejado durante o confinamento. Não se esqueça que estivemos presos nas nossas casas durante muito tempo – um aluguer para férias oferece uma experiência idêntica, apenas num lugar diferente. Em contrapartida, os hotéis dispõem de um leque de experiências e infraestruturas muito mais vasto e diferenciado.

 Couple enjoying the spa

. Food & Beverage

Um dos principais fatores de diferenciação de um hotel, em relação a um aluguer de férias, é a experiência gastronómica: alimentação e bebidas. Quer se trate de alojamento com pequeno-almoço, meia pensão ou pensão completa, os hóspedes de um hotel podem desfrutar e sentir que estão a cuidar deles e, desta forma, podem estar descontraídos quanto ao planeamento do menu, esquecer as compras e confeção da sua comida, reservando simplesmente as suas refeições no local. Caso disponha de um Chef famoso, ou de uma marca diferenciada de restaurante na sua propriedade, promova-o aos seus hóspedes. Não presuma que eles terão tal conhecimento. 

Os alugueres tradicionais para férias com self-catering exigem que os hóspedes planeiem cuidadosamente as suas refeições – quer sejam eles próprios a prepará-las, ou a percorrer página após página de resenhas de restaurantes para decidir onde comer. Os hotéis e resorts oferecem flexibilidade e comodidade, com restaurantes no local e serviço de quartos, para além de disporem de uma equipa de Guest Relations com conhecimento especializado e atualizado sobre as melhores opções locais para comer fora. Há uma razão pela qual os ovos escalfados sabem sempre melhor num hotel do que em casa – porque todos adoramos que nos aguardem e cozinhem para nós.

6. Invista na jornada do hóspede

Os alugueres para férias têm investido em ferramentas simples para gerir os seus hóspedes, sendo o CRM um dos fatores chave dessa gestão. Os hotéis com CRM podem beneficiar dos dados de reserva do PMS para acompanhar de perto os hóspedes e envolver-se com eles durante toda a sua jornada – desde a reserva, durante o seu período de estadia e após o seu regresso a casa.

A compreensão e acompanhamento da jornada do hóspede permitir-lhe-á ir ao seu encontro, na altura certa, com ofertas e promoções adicionais, e é aqui que entra a nossa próxima sugestão…

7. Incrementar receitas com oferta de produtos complementares

Os viajantes podem não ter investido em viagens nos últimos 18 meses, mas continuarão a ser cautelosos com o seu dinheiro. As empresas relacionadas com férias que inflacionaram os preços não dispõem de boa reputação nos meios de comunicação social, causando muitas vezes danos a longo prazo à sua própria marca. Em contrapartida, um hotel pode adotar uma abordagem de gestão total de receitas e utilizar os seus produtos complementares, visando prestar uma assistência mais abrangente que integra toda a jornada do cliente.

Defina estratégias de como e quando oferecer extras aos seus hóspedes – que produtos e serviços adicionais podem ser promovidos, tais como parcerias com empresas locais, ou serviços com subscrição de uma assinatura. A incorporação de produtos complementares através da sua aplicação hoteleira, permite aos hóspedes reservar diretamente, ou comprar on-line com apenas um click – tal refletir-se-á na maximização dos seus resultados.

8. Serviços digitais de concierge

Eleve os serviços digitais ao próximo nível, ofereça serviços de concierge à distância aos hóspedes quando estão fora e em viagem, e conquiste uma mais-valia. As experiências envolventes que proporcionam um olhar único sobre o seu destino, ou conferem um momento memorável, são muito procuradas pelos viajantes. Ao combinar os conhecimentos do seu concierge e os de outro pessoal, consegue facultar informação e conselhos personalizados aos seus hóspedes. 

Há diversas ferramentas capazes de o ajudar a personalizar os seus serviços de concierge, pelo que vale a pena pensar em como reestruturar o conjunto dos serviços prestados ao hóspede, com o objetivo de os tornar mais direcionados e especializados. Estabeleça parcerias com atrações, eventos e experiências locais, incluindo percursos pedestres, para captar mais a atenção dos seus hóspedes. Os conhecimentos e relações locais que o seu negócio desenvolve, são fulcrais para criar uma experiência única para os seus hóspedes. 

9. Eventos em tempos do Virus Corona

Num período pós-pandémico, verifica-se uma mudança de comportamentos face às viagens. Os interesses e necessidades contradizem-se frequentemente entre si. Muitas vezes os viajantes procuram distanciamento e convivência social em simultâneo.

Dê asas à sua criatividade e utilize o seu espaço exterior para eventos, nomeadamente noites de cinema de Verão. Desta forma, oferece aos seus hóspedes segurança e, ao mesmo tempo, interação social.

10. Entrar no sector de aluguer para férias

Pouco antes da pandemia, marcas de hotéis como Accor e Marriott, adotaram a seguinte abordagem: “se não os pode vencer, junte-se a eles”. Neste âmbito, criaram e promoveram alugueres privados de curto prazo, através do aluguer de unidades autónomas independentes. Embora tal possa não ser uma realidade possível para a sua marca hoteleira, é uma opção a considerar, pois de futuro, poderá viabilizar uma estratégia de diversificação do seu negócio.

Por forma a competir com os alugueres para férias, torna-se imperativo que os hotéis destaquem as vantagens que, de facto, os distinguem e podem oferecer aos hóspedes, comparativamente com uma opção de self-catering. Depois de vários confinamentos, muitos viajantes anseiam por uma estadia num hotel. O facto de ter alguém a limpar o seu quarto, cozinhar as suas refeições e poder usufruir de instalações de lazer de alto nível no mesmo edifício, soa como uma bênção. 

Considere o que os agentes de reservas procuram e perspetive a melhor forma de oferecer valor nessas áreas, comunique claramente com os seus hóspedes, com os membros do clube de fidelidade e potenciais clientes, e poderá superar os alugueres a curto prazo. Para obter assistência sobre como pode utilizar as ferramentas SIHOT, contacte uma das nossas equipas.